Vaza Jato: Dallagnol ‘fingiu’ que não sabia corrupção de Onyx Lorenzoni


Foto: Zeca Ribeiro/Agência Câmara

O procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, já sabia que Onyx Lorenzoni, o atual chefe da Casa Civil de Jair Bolsonaro e então deputado federal (DEM), seria investigado por corrupção em 2017, mas manteve a parceria para tramitação da campanha das 10 Medidas Contra a Corrupção no Congresso. A informação consta em uma troca de mensagens divulgada pelo site The Intercept Brasil.

Em diálogo no dia 11 de abril de 2017 com Fábio Oliveira, do Instituto Mude, Dallagnol é indagado se sabia que Lorenzoni fazia parte da “lista do Fachin”, sobre políticos suspeitos de receber propina. Em tom sarcástico, o procurador responde que “já sabia”, mas fingia não saber. “Vi… (já sabia, mas tinha que fingir que não sabia, o que foi, na verdade, bom rsrsrs)”, respondeu Dallagnol.

Onyx era um dos principais apoiadores da Lava Jato no Congresso para aprovação das chamadas “10 Medidas contra a Corrupção”. Em agosto de 2016, Dallagnol participou ao lado de Onyx Lorenzoni de uma audiência na Comissão Especial sobre combate à corrupção na Câmara.