Pedido de líderes religiosos influenciou edição de decreto feita por Bolsonaro


Foto: Divulgação

O presidente da República, Jair Bolsonaro, decidiu autorizar o decreto que inclui a atividade religiosa como essencial durante o período de quarentena para evitar o contágio contra o coronavírus. De acordo com informações do blog da jornalista Andréia Sadi, a decisão foi influenciada por pedido de líderes religiosos.

Segundo a publicação, assessores de Bolsonaro justificaram “preocupação” dos religiosos com a Semana Santa, que acontece em abril, “com a parte emotiva” das pessoas. Pastores e arcebispos procuraram o governo com esse apelo.

Governistas afirmaram que o decreto é um “amparo” para que prefeitos não proíbam missas e cultos dos religiosos que queiram realizá-las. No entanto, a recomendação de evitar aglomerações continua.

Bolsonaro, que vem minimizando a pandemia do coronavírus, tem uma forte base de apoio no meio religioso.