Miliciano atravessou mangue e lagoa ao fugir da polícia na Costa do Sauípe


Foto: Reprodução/TV Globo

O ex-capitão do Bope do Rio Adriano Magalhães da Nóbrega escapou de uma ação policial ao atravessar uma área de mangue e nadar em uma lagoa que fica próxima a um condomínio de luxo na Costa do Sauípe, localizado no município de Mata de São João, litoral norte da Bahia. A polícia tentou localizá-lo no imóvel no último dia 31, mas só encontrou no local sua mulher e duas filhas.

Ele estava em Sauípe antes de fugir para Esplanada (BA), onde foi localizado e morto por policiais no domingo (9), em circunstâncias que serão investigadas.

​De acordo com reportagem do Jornal Nacional de ontem (11), a rota de fuga foi descoberta por policiais da Bahia e do Rio de Janeiro, durante as investigações para tentar prender o miliciano.

Adriano era suspeito de comandar um grupo que cometeu dezenas de homicídios, o “Escritório do Crime”. De acordo com as investigações, em dezembro do ano passado, ele alugou uma casa no condomínio e se exercitava diariamente na academia do local.

Ao perceber que a polícia cercava a região, Adriano fugiu pelos fundos da casa até um mangue. Depois de cruzar o mangue, ele mergulhou na lagoa e nadou até a restinga, chegando depois à praia. O miliciano percorreu um quilômetro em 50 minutos.

Ao chegar na praia, Adriano correu por mais 50 minutos até a cidade mais próxima onde alugou o primeiro carro para seguir para a fazenda de Leandro Guimarães, pecuarista da região de Esplanada. Preocupado em ser seguido, ele alugou ao todo quatro veículos, no período de três horas, até Esplanada, onde ficou hospedado na fazenda de Leandro. O miliciano fugiu depois para outro sítio que pertence ao vereador de Esplanada Gilsinho de Dedé (PSL), onde acabou localizado e morto.

A Polícia do Rio investiga a relação entre Leandro e Adriano e a participação dele na fuga do ex-capitão da PM. Do Metro1