PRB realizará convenção para candidatura de Marquinhos a prefeito de Lajedo do Tabocal dia 24 de julho


 

Convenção dia 24 de julho
Hoje (13/07) em Salvador no gabinete do deputado estadual Sandro Regis (PRB)

A convenção para candidaturas de Marquinho de Fazenda Nova a prefeito de Lajedo do Tabocal-BA, Paulão vice, ambos do PRB, e dos candidatos do grupo que concorrerão a uma vaga na Câmara de Vereadores está marcada para o dia 24 de julho (2016) na Câmera de Vereadores.

Marquinhos se encontra em Salvador, onde se reuniu nesta quarta feira (13/07) com o deputado estadual Sandro Regis (DEM), e esteve também com outros nomes importantes no senário politico baiano e do Brasil, articulando metas para a sua campanha.

INEDITO

Caso se confirme o nome dos três pré-candidatos a candidatura a prefeito de Lajedo do Tabocal será fato inédito na historia politica do município, prometendo assim uma campanha acirrada.

São eles: Pelo PRB, Marquinho de Fazenda Nova, presidente da Câmara de Vereadores, vice Paulão ex-secretário de transportes, também do PRB, Mariane Fagundes (PSD), filha do ex-prefeito Álvaro Fagundes (falecido), e irmã também do ex-prefeito Reivado Fagundes, e do ex-vereador Junior Fagundes, vice Dílson Santos radialista, e Adalicio Almeida (Licinho) atual prefeito (PP), vice Serjão também PP, ex-vereador e ocupava a Secretaria de Agricultura.

 O que leva também um numero de candidatos a vereadores bem acima do que Lajedo está acostumado ver nas disputas eleitorais em eleições passadas. Imagem: WhatsApp, redação Ely Morais

Exclusivo: Marquinhos de Fazenda Nova confirma sua pré-candidatura a prefeito de Lajedo do Tabocal


Marquinhos de Fazenda Nova, pré-candidato a prefeito
Marquinhos de Fazenda Nova pré-candidato a prefeito
13438844_1703934729858405_4415152497080915087_n
Pré-candidaturas de Marquinhos e Paulão tem apoio do deputado federal Claudio Cajado

Antônio Marcos de Araújo Sena (Marquinhos de Fazenda Nova), (PRB), informou que é sim pré-candidato a prefeito de Lajedo do Tabocal-BA, e que mesmo com alguns comentários que circulam no município dizendo que ele não disputará a prefeitura ele vai sair sim candidato, tendo como vice o pré-candidato Paulo Ângelo de Souza (Paulão).

E que a mais de um ano ele já tinha dado uma entrevista na rádio local sobre sua pré-candidatura, sendo fortalecida tempos depois pelo deputado estadual Sandro Regis (PRB) em outra entrevista também dada a mesma emissora, e que não é por vaidade e nem pela ganância ao poder para benefícios próprios, e sim por justiça e igualdade a todos os lajedenses.

E que conta com apoio em restrito do deputado federal Claudio Cajado (DEM), deputados estaduais Sandro Regis (DEM) e Sildevan Nóbrega (PRB), também da deputada federal Tia Eron, presidente do PRB na Bahia, e do prefeito de Salvador ACM Neto (DEM), através dos deputados Claudio Cajado, e Sandro Regis.

Em Lajedo do Tabocal tem o apoio dos vereadores, Claudinei de Zeca (PRB), Dimas (PRB), e Marcelinho presidente do PTN de Lajedo do Tabocal, dar ex-prefeita Mariângela Borges (PMB), e recentemente recebeu o apoio de Téo Caetano, presidente do Partido Ecológico Nacional (PEN), e que tem recebido manifestações de apoio de inúmeras famílias, comerciantes, e jovens em todo o município, ele enfatizou ainda que o PRB é o partido com maior numero de vereadores na câmera, um total de três.

13427907_1698413897077155_4659081158000863598_n
Paulão (PRB), Macelinho (PTN), Deputados Estaduais Sildevan Nóbrega e Sandro Regis do PRB, Marquinhos ao lado de Dimas e Claudio de Zeca (Claudinei) todos do PRB.

Relatou que a educação que recebeu de seus pais ao lado de suas duas irmãs, o fez um homem honrado e trabalhador, que nunca teve o seu nome envolvido em escândalo algum, e que recebe dentro de casa um apoio integral de sua esposa e filhas, e que é necessário em primeiro lugar para quem quer fazer um bom governo, saber administrar sua casa com responsabilidade, respeito e muito amor.

Que sua convivência desde que nasceu na zona rural, e sua experiência como vereador e presidente da Câmera de Vereadores o fortaleceu e deu total experiência para poder fazer uma administração exemplar voltada ao povo, que ainda como legislativo e cidadão lajedense  conhece de perto os problemas do município, e veja que podem ser resolvidos ao invés de jogar debaixo do tapete para que sejam apagados.

 “hoje vejo muitos gastos desnecessários, e onde se dever realmente investir não se investe, para um município crescer, deve ouvir os munícipes, respeitado suas ideias, sem dar mal respostas lembrando que o gestor é empregado do povo, e não o povo empregado do gestor, que é inaceitável e constrangedor, saber que um cidadão foi maltratado por um prefeito quando o procura, a maior vitória de um candidato não é nas urnas e sim quando chegar ao final de seu mandato poder olhar para trás e ver um trabalho e um legado diferente para que os sucessores veja ai por diante a prefeitura não como um meio de ganhar dinheiro e beneficiar familiares e parentes, e sim um meio de poder ajudar o povo, e contribuindo ainda para um avanço do crescimento com responsabilidade” Disse Marquinhos.

Ao ser indagado o que ele achava de uma administração que boa parte das secretárias são ocupadas por membros da família ou parentes do prefeito, ele respondeu que como já tinha dito antes, não se pode usar a prefeitura para benefícios próprios, visando beneficiar mais a família ou parentes, e esquecendo de uma grande parcela da população. Mesmo não sendo ilegal é bom lembrar que para cada secretaria o correto é nomear pessoas preparadas dentro daquela área, que tenha total conhecimento para o bom desenvolvimento do município, podendo assim atender o povo e saber resolver os seus problemas, pois para isto estão lá os secretários.

Que na área da agricultura é necessário mais do que urgente à contratação de um agrônomo, para acompanhar de perto o trabalhador rural, ensinado novas técnicas de plantios para uma produção maior, pois quando a produção é forte no campo a cidade se fortalece gerando empregos, evitando assim que muitas pessoas emigram para outras localidades em busca de empregos, e que a contratação de um agrônomo não é gasto e sim investimento, e estará incluída no seu plano de governo.

Em relação à educação ele deixou bem claro que além de ser procurado por vários professores, tem uma esposa professora na rede publica de ensino, conhecendo assim muito bem as necessidades, e que se deve montar um projeto de educação bem elaborado com a participação de pais de alunos, para que o ensino no município venha ser um modelo para outras municípios, e não usando as deficiências dos outros municípios para desculpa na má qualidade do ensino.

E que acredita tanto que o ensino publico pode ser tão bom, ou ate mais que o ensino particular, que suas duas filhas estudam em escola publica, não que ele não possa pagar uma escola particular, mais por acreditar que através de um empenho forte e dedicação por parte do gestor o ensino publico pode atingir 100% (cem por cento) de qualidade.

Perguntei ainda: Marquinhos você sabe que tem mais dois pré-candidatos muito fortes concorrendo à prefeitura, o atual prefeito Adalício Almeida (Licinho), e ex-vereador, e Mariane Fagundes, filha de Álvaro Fagundes (Já falecido),que foi o primeiro prefeito de Lajedo do Tabocal, e uma das maiores liderança politica que o município já teve, irmã de Reivaldo Fagundes, que por duas vezes foi prefeito também de Lajedo, e ainda irmã do ex-vereador Junior Fagundes, você está preparado para enfrenta-los? “Sim estou preparado, Não menosprezando nenhum dos dois, Álvaro Fagundes a quem eu tenho um respeito muito grande a sua memoria, fez um papel muito importante e com certeza para sempre será lembrado na historia Lajedense, estamos vivendo um novo momento politico, e devemos também fazer a nossa parte para também sermos incluído nesta historia de forma bonita, deixando exemplos a ser seguido, como; honestidade, ótima administração, e acima de tudo amor ao povo, porque para ser um politico de verdade e de sucesso tem que ter amor. Em momento algum quando decidir lançar minha pré-candidatura passou em minha mente fazer uma politica suja, de baixaria ofendendo a imagem de quem quer que seja para atrair votos, até porque essa tese não funciona, e o eleitor tem que ser respeitado seja lá qual for a sua decisão. A minha campanha será feito encima de projetos que virão beneficiar o povo. Vejo inúmeras qualidades boas que os lajedenses tem, duas se destacam com força, são trabalhadores e inteligentes, e com certeza irão analisar as propostas de cada candidato, e fazer uma analise do que já foi feito ao longo destes anos, o do que pode ser feito daqui pra frente, pois é hora da administração ser despertada através da escolha do candidato para representa-los no executivo, para que o avanço que tanto o povo espera venha acontecer de fato e de uma forma rápida.” Disse

Marquinhos falou ainda que a escolha de Paulão a pré-candidatura a vice, foi feita através de pesquisa popular, sem definir nomes no questionário de pesquisa, que no local onde se fazia a pergunta o espaço de resposta estava vazio, ficando a inteira disposição do entrevistado para opinar pelo nome que achasse melhor, com inteira liberdade, sem ter que ser coagido a escolher um dos poucos nomes já ditado pelo pré-candidato a prefeito, evitando assim conflitos e duvidas dentro do grupo e constrangimento por parte dos nomes que foram citados na pesquisa.

Entre os vários nomes que apareceram na pesquisa Paulão ficou em primeiro lugar. Segundo Marquinhos a pesquisa foi realizada meses atrás, e ele gostou da escolha feita, pois Paulão além de um bom chefe de família é também integro, o verdadeiro ícone de oposição aos desmandos de administrações contrarias ao bem estar da sociedade lajedense se mantendo firme desde o inicio sem nunca desviar do foco, e comentado por muitos que além de ter ajudado muita gente foi o melhor secretario de transportes que Lajedo já teve. Fotos: Arquivo pessoal, redação Ely Morais

Ex-presidente Lula oferece apoio a senadores em eleição na busca de votos pró-Dilma


Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva
                                            Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva autorizou o PT a incluir as eleições municipais deste ano na negociação com senadores para a votação final do impeachment de Dilma Rousseff.

Segundo a Folha apurou, Lula e a cúpula petista vão sinalizar a senadores que se colocam hoje como “indecisos” diante do afastamento definitivo de Dilma a possibilidade de, caso queiram se candidatar a prefeito em outubro, ou tenham aliados como candidatos, o próprio ex-presidente participar pessoalmente das campanhas municipais.

“Essa é uma possibilidade concreta, um ponto que pode ser objeto de negociação, tratando da realidade local e regional”, afirmou à Folha o senador Humberto Costa (PT-PE).

A aposta do PT é reverter o voto de senadores principalmente do Nordeste, reduto eleitoral petista e por onde Lula vai fazer um tour na próxima semana. Entre segunda (11) e quarta-feira (13), o ex-presidente deve viajar à Bahia, Ceará e Pernambuco.

Nesta quarta-feira (6), Lula desembarcou em Brasília para conversar com senadores do PT, no hotel onde costuma se hospedar na capital, e participar de um jantar na casa do senador Roberto Requião (PMDB-PR).

O peemedebista é um dos principais entusiastas da tese de que, caso volte ao Planalto, Dilma proponha um plebiscito que convoque novas eleições presidenciais e faça um governo de transição com mudanças na política econômica.

Três dos senadores que estão no alvo de Lula e do PT para votarem a favor de Dilma são Acir Gurgacz (PDT-RO), Cristovam Buarque (PPS-DF) e Antonio Carlos Valadares (PSB-SE). Os três estiveram nos dois jantares realizados por Requião nas últimas semanas e prometeram comparecer ao desta quarta, com a presença do ex-presidente.

Os senadores Marcelo Crivella (PRB-RJ) e Romário (PSB-RJ) são cortejados também com a questão eleitoral, já que ambos podem ser candidatos a prefeito no Rio.

Aos senadores que se colocam como “indecisos”, Lula vai manter o discurso de que, caso Dilma retome o cargo, o governo será “diferente”, com ele no comando e mudanças “imediatas” na política econômica. Isso porque, afirmam aliados, o ex-presidente reconhece que hoje não há 28 senadores dispostos a defender publicamente a ideia de novas eleições presidenciais e ele quer ver “resultado prático” da tese.

Apesar do discurso e das investidas, Lula e parlamentares petistas acreditam que a volta de Dilma é, no momento, “muito improvável”. Mesmo os jantares de Requião vêm perdendo em número de participantes: o primeiro encontro contou com 28 senadores, o segundo, com 25.

IRRITAÇÃO

Na semana passada, Lula demonstrou irritação com a demora para a articulação do plebiscito e disse a aliados que a tese só seria viável caso houvesse o apoio público de pelo menos 28 dos 81 senadores. Esse é o número que Dilma precisa ter em votos no Senado para se livrar do impeachment –na primeira fase do processo na Casa, a presidente agora afastada teve o apoio de 22 parlamentares.

A aposta dos petistas para que o sentimento de “volta, Dilma” surja entre os parlamentares é no que chamam de “imponderável” dos desdobramentos das investigações da Operação Lava Jato.

Segundo eles, as investigações poderiam desgastar o presidente interino, Michel Temer, caso atinjam novos quadros do governo, e, assim, trazer reflexos negativos para a economia. Fonte: UOL

Dilma se diz alvo de complô, reafirma inocência e faz apelo a senadores


Dilma apelou aos senadores
Dilma apelou aos senadores, a quem pediu que reflitam sobre o impeachment com absoluta isenção (Foto: EBC)

Na parte final de seu depoimento por escrito lido nesta quarta-feira (6) pelo advogado José Eduardo Cardozo na Comissão Processante do Impeachment do Senado, a presidenta afastada Dilma Rousseff reafirmou sua inocência sobre as acusações que motivaram o processo que pode resultar na perda definitiva de seu mandato.

Dilma Rousseff ressaltou que, desde a abertura do processo pelo presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), “as razões reais e a finalidade” do impeachment são claras. “Várias forças políticas, viam e continuam a ver, a minha postura de não intervir ou de não obstar as investigações realizadas pela operação Lava Jato, como algo que colocava em risco setores da classe política brasileira.”

A petista se disse alvo de um complô ao lembrar a conversa entre o senador Romero Jucá (PMDB-RR) e o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, que resultou na saída de Jucá do comando do Ministério do Planejamento dias depois de ter sido nomeado pelo presidente interino, Michel Temer.

“Como disse um dos líderes mais importantes do governo interino, o senador Romero Jucá, era preciso me destituir da Presidência da República para que, enfim, fosse possível um acordo que esvaziasse as operações policiais contra a corrupção e fosse estancada a ‘sangria’ resultante dessas investigações. Várias outras declarações de integrantes do grupo que apoia ou está hoje no governo confirmaram esta revelação: era preciso me derrubar para ter uma chance de escapar da ação da Justiça”, citou.

Dilma acrescentou que a estes setores se somaram os que, desde o resultado eleitoral de 2014, não reconheceram a derrota nas urnas.

“Queriam uma outra política para o país, com finalidades e propósitos completamente diferentes daqueles que foram escolhidos pela maioria dos brasileiros”, disse a presidenta afastada, destacando que foi vitoriosa nas urnas graças a políticas sociais de seu governo.

Apelo
Dilma Rousseff concluiu sua defesa com um apelo aos senadores, a quem pediu que reflitam sobre o impeachment com absoluta isenção. “Peço que reflitam, com absoluta isenção, sobre a história do nosso país e sobre o que representará para a nossa jovem democracia a cassação de um mandato presidencial realizada nestas circunstâncias e por estes motivos. Manifesto minha sincera confiança na compreensão das senadoras e dos senadores que, mesmo sendo de oposição ao meu governo, estejam abertos a considerar meus argumentos. Espero que muitos estejam dispostos a agir com isenção. Basta que se analise este processo para que se saiba que não cometi as irregularidades que são atribuídas a mim. As provas são evidentes e demonstram cabalmente que agi de boa-fé, pelo bem do país e do nosso povo – e sempre dentro da lei.”

Temer
Nas últimas linhas da defesa, a presidenta afastada voltou a criticar o Michel Temer e o acusou de traição e mentira. “O Brasil não merece viver uma nova ruptura democrática. Devemos mostrar ao mundo e a nós mesmos que conseguimos construir instituições sólidas, capazes de resistir a intempéries econômicas e políticas. Devemos mostrar que sabemos honrar a nossa Constituição, a democracia e o Estado de Direito, zelando pelo respeito ao voto popular. Devemos mostrar, finalmente, que sabemos dizer não a todos os que, de forma elitista e oportunista, agindo com absoluta falta de escrúpulos, valem-se da traição, da mentira, do embuste e do golpismo, para hipocritamente chegar ao poder e governar em absoluto descompasso com os desejos da maioria da população”, concluiu.

Próximos passos
A próxima reunião da Comissão Processante do Impeachment será para apresentação do relatório do senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), no dia 2 de agosto ao meio-dia. Na ocasião, o parecer será lido na comissão, para discussão no dia seguinte e votação no dia 4 de agosto.

Antes disso, de amanhã (7) a 12 de julho, a acusação enviará as alegações finais ao colegiado. Entre os dias 13 e 27 de julho, caberá à defesa apresentar os argumentos finais. A partir daí até 1º de agosto, o relator poderá elaborar seu parecer sobre o caso.

Ministro do STF autoriza quebra de sigilo bancário de Waldir Maranhão


Waldir Maranhão (PMDB-MA)
Pedido de quebra do sigilo foi feito pela Procuradoria-Geral da República.
Em nota, deputado disse que quebra de sigilo é ‘normal’ em investigação.

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a quebra do sigilo bancário do presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão (PMDB-MA). A decisão foi tomada após pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR).

Segundo a procuradoria, há “fortes indícios” de que Maranhão recebeu vantagens “indevidas” para atuar em diversas prefeituras a favor de um esquema ilegal que direcionava investimentos de regimes de previdência de servidores públicos municipais.

Em nota divulgada na manhã desta segunda-feira (4), a assessoria de Maranhão disse que o presidente interino da Câmara está “tranquilo” e que, na opinião dele, a quebra de sigilo é “absolutamente normal” dentro de uma investigação. “Quanto mais se investigar, mais se concluirá pela absolvição”, afirmou a assessoria (veja a nota completa ao final desta reportagem).

Na autorização para a quebra do sigilo, o ministro Marco Aurélio afirmou que o pedido do Ministério Público é “relevante” para que se esclareça suposta participação de Maranhão no esquema. O ministro, porém, negou pedido para quebrar o sigilo bancário também da esposa do deputado.

Veja a íntegra da nota da assessoria de Waldir Maranhão:

A assessoria de comunicação do deputado Waldir Maranhão informa que o presidente interino considera que o pedido de quebra de sigilo bancário ao STF é absolutamente normal dentro de um procedimento investigatório e o parlamentar está à disposição para prestar esclarecimentos.

O deputado está absolutamente tranquilo sobre a investigação. Quanto mais se investigar, mais se concluirá pela absolvição. Do G1

Segundo delator, PT recebeu ao menos R$ 40 milhões em propina de empreiteira


PT recebeu R$ 94 milhões para doações de campanha eleitoralA construtora Andrade Gutierrez repassou, ao menos, R$ 94 milhões para o PT (Partido dos Trabalhadores) como doações para financiamento de campanhas eleitorais entre 2009 e 2014. Deste total, entre 40% e 50% corresponderam a dinheiro de propina conquistada por meio de obras firmadas com o governo federal.

Significa dizer que, ao menos, R$ 40 milhões enviados da empreiteira para o partido foram desviados de contratos com a administração federal.

A informação é do ex-presidente da construtora Otávio Marques de Azevedo, que firmou acordo de delação premiada com a Justiça brasileira, e está na edição deste sábado (2) do jornal Estado de S.Paulo.

Azevedo cumpre prisão domiciliar e usa uma tornozeleira eletrônica após condenação na Operação Lava Jato.

O delator indicou aos procuradores da Lava Jato que o dinheiro ilegal teve como origem as obras da usina Belo Monte, no Pará, e de Angra 3, no Rio de Janeiro, e da construção de estádios para a Copa do Mundo de 2014.

Leia mais notícias de Brasil e Política

À PGR (Procuradoria-Geral da República), Azevedo detalhou os repasses ilegais: “As doações ao PT de 2009 a 2014 de R$ 94 milhões, estimando o depoente que R$ 40 milhões foi de propina. […] O valor da propina é estimado, podendo ter ficado entre R$ 38 milhões e 48 milhões”.

A construtora Andrade Gutierrez era uma das principais doadoras de campanhas eleitorais quando empresas podiam repassar recursos para este fim. Em 2014, a empresa doou R$ 93,6 milhões a diversos candidatos, sendo que o PT foi o principal beneficiado com R$ 39,3 milhões.

Os repasses ilegais de dinheiro desviado do esquema de corrupção da Petrobras irrigaram os caixas do PT, segundo as investigações dos procuradores da Lava Jato. A “ajuda” configurou uma forma de lavagem de dinheiro, conforme as investigações.

A Andrade Gutierrez fechou um acordo de leniência com as autoridades brasileiras e se comprometeu a devolver R$ 1 bilhão aos cofres públicos — o maior entre uma empresa e a Justiça firmado até agora.

Em nota, o PT disse que “refuta totalmente as ilações apresentadas” e informou que “todas as doações que o PT recebeu foram realizadas estritamente dentro dos parâmetros legais e posteriormente declaradas à Justiça Eleitoral”. Do R7

Documento da Igreja Católica proíbe a participação de padres nas eleições deste ano


Padres não poderão ser candidatos
       Padres estão proibidos de participarem das eleições de 2016

Os representantes da arquidiocese de Vitoria da Conquista, das dioceses de Jequié, Caetité, Livramento de Nossa Senhora e Bom Jesus da Lapa orientam aos padres e pessoas ligadas aos ministérios da igreja católica que não participem do pleito eleitoral deste ano. Durante a 54° Assembleia Geral da CNBB, realizada em Aparecida, os bispos incentivam aos leigos uma participação direta no processo eleitoral e nos cargos eletivos, mas restringe algumas participações. No documento eclesial diz que a Igreja Católica e seus membros não indicarão candidatos a cargos eletivos, por que o papel da entidade é ajudar a sociedade a votar com responsabilidade em vista do bem comum e não em benefício próprio. Os presbíteros, diáconos, religiosos e religiosos têm como objetivo acompanhar criticamente as eleições sem tomar partido ou fazer propaganda eleitoral na igreja. Os padres dessas dioceses que exercem cargos políticos ou pretendem ser candidatos nessas eleições não poderão presidir a Eucaristia em nenhuma dessas dioceses. Também fica proibido o uso de espaços da igreja para veiculação de propagandas políticas e reuniões partidárias. Também fica proibido que os candidatos façam a leitura da palavra durante as missas e apresentação das ofertas. Os padres não poderão apresentar candidatos ou partidos as instituições ligadas a Diocese, como comunidades, associações, pastorais, grupos, movimentos e outros.

A Justiça Eleitoral segue com inscrições abertas para mesários voluntários


Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA)
Inscrições abertas para mesários voluntários

 

Implantado em 2006 nas zonas eleitorais da Bahia, o projeto “Mesário Voluntário” do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) ganhou fôlego ao longo dos anos e segue alistando cidadãos que têm interesse em atuar voluntariamente nas mesas receptoras de voto no dia das eleições.

Em ritmo de preparação para o pleito municipal que acontece em 2 de outubro e com o objetivo de esclarecer os procedimentos para aqueles que desejam participar do projeto, o boletim eletrônico semanal da Justiça Eleitoral baiana traz nessa edição uma entrevista com Silvana Matos, chefe do cartório da 20ª zona eleitoral e integrante do Grupo de Trabalho Mesários. Ela explica os critérios exigidos para se habilitar ao serviço nas mesas receptoras de votos, além dos benefícios assegurados em lei para os que atuaram como mesários.

De acordo com a servidora do TRE-BA, os cidadãos que pretendem ser convocados para exercer a função nesta eleição, devem fazer a inscrição até a primeira quinzena de setembro, pelo site do órgão ou nos cartórios eleitorais. Saiba como: http://migre.me/u8aTN.

Mesário do Futuro

Vale destacar que o Eleitoral baiano acabou de lançar também o projeto “Mesário do Futuro”, cujo objetivo é formar um cadastro de jovens com idade entre 16 e 17 anos, que desejam ser mesários após alcançarem a maioridade. Em maio, a TV TRE-BA lançou em seu canal no Youtube a série Mesários,que traz uma entrevista com o estudante secundarista Douglas Lisboa, de 17 anos, que foi o primeiro a solicitar inscrição para o projeto.

Leia mais:

“Mesário do Futuro” cadastra adolescentes interessados em atuar nas eleições após completarem 18 anos

Iniciada nomeação de mesários: série de vídeos aborda participação voluntária nas mesas receptoras de voto

Câmara mantêm parecer do TCM sobre contas rejeitadas do prefeito de Planaltino-BA


Prefeito de Planaltino
              Carlinhos de Merello prefeito de Planaltino

O Legislativo de Planaltino julgou, em sessão da Câmara desta sexta-feira (17/6), o parecer prévio emitido pelo Tribunal de Contas dos Municípios sobre as contas de 2014 da Prefeitura, sob a responsabilidade do prefeito José Carlos Gomes do Nascimento, o Carlinhos de Meirelo (PCdoB), e manteve a decisão do TCM, que opinou pela reprovação das contas relativas ao exercício de 2014.

As contas teriam sido rejeitadas em razão da abertura de créditos adicionais suplementares sem autorização legislativa e sem indicação da fonte de recursos para o pagamento futuro, e pelo não recolhimento de multas impostas pelo tribunal cuja cobrança são da sua responsabilidade, com multa ao gestor em R$ 3 mil pelas irregularidades destacadas no relatório técnico e em R$ 36 mil, que corresponde a 30% dos seus subsídios anuais, por não ter promovido a redução do percentual da despesa total com pessoal.

No julgamento da Câmara, 5 parlamentares seguiram a recomendação do TCM, e  4 rejeitaram. Acompanharam o parecer do Tribunal os oposicionistas: Sandro Silva, Dunga Braga, Rener Oliveira Ernane Soares e um governista. A decisão da Câmara torna o prefeito sujeito a inegibilidade, mas Carlinhos já havia declarado a população local que não disputará à reeleição neste ano. Fonte: Blog Marcos Frahm

Governo Temer é avaliado negativamente por 67% dos brasileiros


Presidente interino Temer
Presidente interino Temer

O governo interino de Michel Temer é avaliado negativamente por 67% dos brasileiros, segundo pesquisa Vox Populi, encomendada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT. De acordo com o levantamento, 33% consideram o governo regular, 11% avaliam de forma positiva e 21% não souberam ou não opinaram.

As opiniões negativas foram mais frequentes na região Nordeste (49%) e as positivas, na região Sul (24%), onde a rejeição é de 31%. Realizada entre os dias 7 e 9 de junho, a consulta questionou também sobre a expectativa sobre o desemprego: 52% acreditam que ele vai aumentar.

Os entrevistados ainda manifestaram preocupação com os direitos trabalhistas (55%), e com a idade mínima para a aposentadoria (77%). O governo foi avaliado pior do que imaginado por 32% dos entrevistados. Foram ouvidas 2 mil pessoas em 116 municípios.